English

 O Casarão Gallotti Kehrig

 
Categorias


  Todas









30 de novembro de 2017
 Título: Detalhes do Casarão Gallotti Kehrig
 Descrição: Localizado no Centro Histórico da cidade
 Local: Santo Amaro da Imperatriz, SC
 Data do Registro: 25/11/2017
 
      Dentre as formas de preservação das espécies residem aquelas que aproximam os seres, que os unem a fim de os tornarem mais fortes, mais resistentes às intempéries do tempo: é da natureza da vida caminhar nessa direção.
      É inerente à existência humana que essa união de esforços determine o surgimento de vínculos, e que consequentemente estabeleça relações, formando sociedades, grupos, famílias. E é dessas relações e do meio ambiente onde acontecem que vão surgindo as culturas e as tradições, que vão acontecendo histórias, que vão formar a História: porque as relações complementam, as relações alimentam.
      E as marcas que vão ficando para trás sempre contam um pouco daquilo que se sucedeu: materializam o tempo que passou: eternizam passado, submetem futuro. Estabelecem conexões que remetem às raízes, às origens, à própria identidade dos povos e das pessoas: preservar é futuro!
      Foi nessa linha de pensamento, que no último sábado, em visita a Santo Amaro da Imperatriz, eu conversava com o amigo santoamarense Juliano Souza da Silva. A conversa teve lugar na Praça Governador Ivo Silveira, centro da cidade, próximo à centenária figueira, após alguns registros fotográficos que fiz da pintura do artista Ângelo: ``Chegada de Suas Majestades Imperiais Dom Pedro II e Dona Tereza Cristina a Santo Amaro, então Sant`Ana, no dia 29 de outubro de 1845``.
      Juliano além de advogar, é Vereador da Câmara Municipal e Presidente do Rotary Club da cidade; mas também foi colunista do Jornal ``O Regional`` onde periodicamente redigiu crônicas históricas sobre o município. Ele me recordou sobre uma crônica, publicada em agosto de 2015, escrita sobre o antigo ``Casarão Gallotti Kehrig`` (1915): uma bonita construção localizada nas imediações; e me convidou para conhecer.
      Me impressionou a beleza imponente de sua arquitetura rica em detalhes, e o valor histórico-cultural que possui. Fiz também alguns registros fotográficos e convidei Juliano para republicar essa crônica, o que ele prontamente consentiu conforme a seguir.

Ruy Luiz Machado



      ``Paro em frente ao majestoso Casarão Gallotti Kehrig em pleno Centro de Santo Amaro. Celular nas mãos, com a câmera pronta para o uso, em mais uma tentativa de pausar a passagem do tempo. Ao olhar para o imponente casarão e sua bela fachada, surgem as lembranças de criança, de passar várias vezes de carro com os olhos vidrados naquela construção tão cheia de janelas e portas. Mas os rostos das esfinges, na parte mais alta da fachada do casarão, pouco antes do telhado, eram meu encantamento. Quando íamos nos aproximando da bela construção, meu nariz colava no vidro do carro, um fusquinha amarelo, vendo muito além de uma simples casa. Em minha imaginação fértil, aqueles rostos de esfinges eram de verdade e guardavam a casa dos malfeitores. Talvez fossem aparentadas com aquelas criaturas mitológicas que estávamos acostumados a assistir em filmes da sessão da tarde, como ``História sem Fim``. A casa já não é mais a mesma; as belas portas de madeira entalhada e as grandes janelas foram substituídas por vitrines. Os prédios nos arredores do casarão teimam em tirar sua beleza e imponência. Mas o rosto daquelas esfinges continuam lá.
      Uma infinidade de pequenos apetrechos que desde muito estão ali, parecem não terem ângulos suficientes para satisfazer minha ânsia de registrar os menores detalhes. A casa traz uma riqueza de detalhes arquitetônicos, que não existe em nenhuma outra construção de Santo Amaro. A platibanda com ricos elementos decorativos, ostenta uma espécie de grandes vasos nas extremidades e no seu centro. Grandes janelas aos lados, cada uma apresentando sua cimalha esculpida com delicadeza e perfeição, permanecem fechadas para o mundo, guardando os acontecimentos de um passado desconhecido pela grande maioria de nós, mas tão importante para história de Santo Amaro da Imperatriz, afinal, ali viveram os influentes Kehrigs. A calçada alta de tijolos antigos, leva-nos a grandes portas, uma ao lado da outra, com colunas que sobem até a faixa que ostenta as esfinges.
      Na imaginação de estar lá dentro, essas portas me oferecem uma oportunidade de saída que recuso. Tudo ali nos remete ao passado. Como seria presenciar o espetáculo do jardim que existia do lado do casarão, onde agora é ocupado por um prédio nada atrativo aos olhos? O que pensavam as pessoas que tiveram o privilégio de ali morar? Que aromas sairiam por aquelas grandes janelas? Talvez a carne seca fritando na panela, o bolo de fubá aprontando no forno, café passando na velha cafeteira ou um perfume de alfazemas da viúva senhora Kehrig, que provavelmente buscava a quietude do jardim para acalentar lembranças da juventude e deu amado esposo falecido. Imaginando as grandes árvores que deveriam existir numa chácara atrás do casarão com mais de 100 anos de idade e, com o sol banhando a casa em seus últimos raios, eu faço minha despedida silenciosa.
      Minha esperança é sensibilizar as pessoas para que toda essa beleza seja preservada e, nas futuras gerações, outros possam parar em frente deste casarão de encantamento, sonhando com um futuro melhor para Santo Amaro, relembrando o passado e, quem sabe, ouvindo as histórias dos antigos e outrora importantes habitantes do Casarão Gallotti Kerihg, num instante em que o pensamento voa distraído acompanhando o crescimento acelerado de Santo Amaro. Neste dia, talvez se escute outra vez o som da antiga Banda de músicos ``Gloria a 7 de setembro``, que em outros tempos, não só ali nasceu como muito tocou.``

*Publicação original em agosto de 2015 no Jornal ``O Regional`` de Santo Amaro da Imperatriz.


Juliano Souza da Silva
julianosouzadasilva@hotmail.com




Geo Codes:
- Santo Amaro da Imperatriz: 27° 41` 16`` S 48° 46` 44`` O
- Casarão Gallotti Kehrig: 27° 41` 08.65`` S 48° 46` 36.25`` O

 


  © 2018 Copyright de Ruy Machado. Todos os direitos reservados.